quarta-feira, 27 de julho de 2011

segunda-feira, 25 de julho de 2011

FLOR DE VESTIDO


Texto escrito pelo meu irmão, Thiago Luiz, esse bonitão aqui da foto.

Uma poesia quase sempre nunca diz nada
E como quem cala, ela até parece que quase diz tudo
É um refugio, um escudo, um esconderijo para noss’alma

Penso que se tivesse algumas horas a menos, por dia
Talvez percebesse tão mecanicamente esta vida e o seu suspirar
Mas creio que a medida do dia é como a medida da própria existência
Nascendo e morrendo assim tão depressa, senão a causa de toda sua magnitude

E quase sempre - nunca racionalizamos - mas bem à frente de nossa testa,
Ou bem abaixo de nosso nariz, está lá, uma poesia a cada pegada,
A cada tropeço e em cada vitória... bem dentro de nossa ro(e)tina
Tão profunda no nosso dia-a-dia para que consigamos deleitá-la e afagá-la

E assim, aquela flor que era para você, tacitamente se tem por rejeitada
E passa despercebida num vestido ambulante de pernas tão claras
Que talvez nunca mais te retornará.

domingo, 24 de julho de 2011

De futebol eu entendo!


No meu aniversário, mês passado, conversava com alguns amigos em Caruaru, comemorei meu aniversário lá, e discutíamos sobre a Copa América. Falou-se muito em Brasil e Argentina (sede da Copa América), mas eu disse categoricamente que o Uruguay seria campeão dessa Copa América. Ontem conversando pelo facebook com um desses amigos que estava presente nesse momento de minha "adivinhação", falei o seguinte (aqui vai a conversa do chat de ontem):

VITOR PI: eu falei o q sobre a copa america, falei q o uruguay ia ser campeão hein? domingo vamo ver, se se confirmar vou mandar um recado no face de todo mundo, seu, do diego, do jamerson e do guga só pra comprovar q de futebol eu entendo!!!!!hauahuahuahua
EDUARDO ALBUQUERQUE: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk foi fodaa heinn massa se garantiuue to torcendo por eles mesmo
VITOR PI: sei que aí ja é querer demais, além de apostar na vitoria, mas ainda mando o placar e os autores: 2X0 pro uruguay, um gol do diego forlan e outro do luisito suarez kkkkkkkkkkkkkkk
EDUARDO ALBUQUERQUE: uhhuuhhhu massaa boa aposta

O campeonato acabou agora com o Uruguay campeão. 3X0. Um gol do Suárez e dois do Forlán. O Forlán fez o terceiro gol no último segundo de jogo, só pra contrariar minha previsão (de placar, mas de autores dos gols - Suárez e o próprio Forlán - eu me garanti), ele fez o gol e o árbitro brasileiro Salvio Spinola terminou o jogo imediatamente após o gol.
Bom, rapazeada, de futebol o garoto aqui entende, viu?!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

ROLLER BACAMARTE

Esse maluco, Elifas, é um brother das antigas de Caruaru, da época que eu morava lá, anos 90. Ele era o baterista da minha primeira banda. Tínhamos uma banda em Caruaru, eu, ele e mais alguns brothers, uma banda chamada HATPHERYS que só tirava cover (Raimundos, Planet Hemp, Rage Against The Machine etc.), foi o início da rapazeada na música, nos palcos (chegamos a fazer dois shows em Caruaru), e foi bom pra todo mundo como experiência. Esse brother aqui do vídeo desde essa época já andava de patins e hoje ele faz isso aí que vocês podem vislumbrar nesse vídeo, o cara inventou uma forma de dar mais velocidade aos patins, aliando cultura universal (patins) à cultura local (bacamarte). Muito louco! Quebra, negão!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

OUVIDO INTERATIVO

Se liga nessa entrevista que dei ao portal OUVIDO INTERATIVO, ficou bem esclarecedora. Valeu!
http://ouvidointerativo.blogspot.com/2011/07/entrevista-vitor-pirralho.html

sexta-feira, 15 de julho de 2011

BICICLOS

Era uma vez
Um garoto chamado Pingo
Que um dia conquistou sua primeira magrela
Batizou-a de Safari
Com ela aprendeu a andar
E a amá-la
Achou que seriam inseparáveis
Até o dia em que ela travou
Safari não queria mais pedalar com ele
Desfez-se dele
Outro garoto a adquiriu
E com o novo garoto ela voltou a andar

Pingo ficou muito triste
Não queria mais compromisso com outra
Pedalou algumas outras magrelas
Sem compromisso, despretensiosamente
Mas o apego não se escolhe
Escolhe-nos, nos pega
E mais uma vez Pingo se apega
Uma nova magrela, uma linda História
Batizou-a de Monark
Várias pedaladas
Intensa na segurança
Insegura na intensidade
Mas nada que quebrasse o andamento
Até o dia que a tração começa a ficar pesada
Difícil de pedalar

Aparece uma magrela mais antiga
Mas disposta a deixar Pingo ir aonde ele queria
Para o alto
A tração desta magrela mais antiga
Apesar de mais antiga era mais leve
Talvez por isso, pela experiência
A montada foi perfeita
O encaixe, sensacional
E a pedalada na subida, fácil
Pingo decidiu ficar com ela
Batizou-a de Caloi
Mas assim mesmo não queria deixar Monark
E por um tempo conseguiu
Pedalava as duas
Até o dia em que uma delas travou
Monark não queria mais pedalar com ele
Queria-o só pra ela
Desfez-se dele

Pingo continuou pedalando
Agora apenas Caloi
Foi bem alto com ela
Mas ao chegar ao topo
Viu lá de cima
Monark lá em baixo
E o fruto da História pedalada por eles
Sentiu saudade e remorso
Pensou em novamente pedalar as duas
Mas as duas não podem ocupar o mesmo espaço
Física

Pingo pensou até em abandonar o ciclismo
Talvez adquirir um motociclo
Ele não tem mais o mesmo pique
Para conduzir tal situação
Pingo está cansado
E entende a impossibilidade física
Não quer mais se desgastar
Mas ele sabe que a vida é pedalar
A gente nunca esquece...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

NOUTRO RITMO


Certa vez, Pingo montou uma banda
E imprimiu ao projeto um bom ritmo
Que a cada dia ia evoluindo
O começo de tudo é promissor
E a banda crescia como uma grande promessa
Destacava aonde chegava
Dava show

Pingo encabeçou toda a ideia
Sempre pensando em ir mais além
Conseguiu angariar seguidores
E recursos também
Enfim, conseguiu registrar
Gravou um álbum
Materializou, botou o boneco na pista

Porém, Pingo estava ficando maior que sua banda
Já não havia mais a mesma comunicação
Algo que o incomodava demais, por sinal
A falta de compreensão, de reconhecimento, de diálogo...
Pingo decide, então, partir para a carreira solo
Flertando aqui e ali com outras bandas
Mas, a partir de então, sempre em destaque solista

Apesar de não conseguir mais compor com sua antiga banda
Vez por outra acontecem alguns revivals
Algumas reuniões práticas, juntar e tocar
Isso deixa Pingo extasiado, nada mais de burocracia
Não que agora ele não esteja feliz, pelo contrário
Ele guarda um sentimento tão verdadeiro por aquela banda
Que prefere não estragar tudo com tantas formalidades

Mas, em se tratando de formalidade
Há uma grande, entre Pingo e a banda
Um eterno vínculo entre eles
O primeiro álbum
O que lhes rende uma dependência formal
Por mero protocolo, dividem-se os prejuízos
Por amor e gratidão, Pingo distribui os lucros