quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A QUEM INTERESSAR POSSA (Manifesto Práspero)


A quem interessar possa, talvez possa interessar alguém. Despertar áspero de prosperidade que expira. Não tenho fé no futuro que se fundamenta fúnebre. Não posso mais me relacionar com quem não quer se relacionar comigo, a não ser que eu esteja sendo pago. Garoto propaganda, garoto de programa. Quando eu não pago nada o outro também não tem obrigação de prestar satisfação a mim. Insatisfeito, só fico com hipocrisia e bipolaridade e falta de comunicação. Mundo social. Falsidade. Duplo sentido. Teclado. O que tem na geladeira também é seu, está vendo alguma etiqueta com meu nome? Depressão pós-ano. Não me cumprimente na próxima translação, não ligue, nem ligue ninguém, pois ninguém liga mesmo. Pescador use a rede, a linha telefônica estará em manutenção. Embriagar-me-ei não sei onde até ser esquecido por mim mesmo. Fuga anunciada, esconderijo indeterminado. Decisão de última hora... De quinta a domingo eu escapo do mundo fechado e fecho meu mundo para balanço de déficit. Não quero entrevistas nem interrogatórios. A virada do ano é a virada do crânio, é o entupimento da aorta e a desobstrução das vias lacrimais. Diga à Coragem que a amo!

domingo, 25 de dezembro de 2011

Seis cordas e um sonho!


Valeu, Edu! É isso mesmo!

sábado, 24 de dezembro de 2011

COLOCANDO O CHAPÉU


Quem lembra que antes de eu fazer minha singela participação no Tributo a Cássia Eller eu falei sobre a consideração que tenho pela família Eller por ter me acolhido como um membro de tal família, a ponto de ter me presenteado com um chapéu da Cássia, que a ela foi ofertado pelo Tom Jobim? Lembram? Foi minha fala introdutória. Enfim... Simplesmente por me amarem e acharem que aquele chapéu combinaria comigo "desfizeram-se" de um objeto que faz parte do relicário de tão bonita História. A minha amiga Rúbia (irmã da Cássia Eller) estava exatamente na frente do palco na hora desse meu discurso e baixou a cabeça emocionada sinalizando positivamente, estávamos todos emocionados, muito lindo. Também amo vocês, Carol Eller, Camila Eller e Rúbia Eller!
Bom, falei sobre o chapéu e disse que ninguém nunca tinha me visto usando, lógico, porque não sairia por aí exibindo à toa tamanha raridade, mas prometi, para todos presentes no evento, que postaria uma foto usando-o, aí vai!
Fala se a família Eller não acertou que combinaria comigo!

TRIBUTO CÁSSIA ELLER (minha singela participação)

TRIBUTO CÁSSIA ELLER (passagem de som)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

SALDO POSITIVO


Acordando com uma sensação muito boa de ter feito um puta som com uma equipe de responsa! Obrigado Fernando Nunes, Carol Eller, Camila Eller, Rúbia Eller, Francisco Ribeiro Eller, Lanlan, Walter Villaça, João Viana!!!! Espero que na volta tenha sido tudo certo, eu voltei pra casa, estava cansadão! Ainda tomei umas cervas, como de praxe, pra manter e ir dormir com a boa vibração que me imperava! Valeuuuuu!!!!!

sábado, 17 de dezembro de 2011

TRANSIÇÃO OCEÂNICA


encontrar o amor
no erudito ou no popular
no dito erupção
se não, pode pular

pra ganhar um colete preciso avisar?
acho que vou me afogar

domingo, 11 de dezembro de 2011

CRIAÇÃO DO KAPPO

REQUISIÇÃO


Jogo aberto
Aonde você quer ir?
Não sei
Você me chamou
Leve-me aonde quiser
Mas eu quero que você diga
Toda vez eu quem digo
Se das últimas (?) vezes eu disse
Não
Fui eu

Você sempre disse
Não cobre
Assimilei
Decidi opinar a meu favor
Seu?
Menina... Menino...
Mostre não
A beleza é sua
Se recebeu ou não
Eu fui

Quem mandou?
Quem perguntou?
Quem foi?