segunda-feira, 19 de março de 2012

quarta-feira, 7 de março de 2012

O ESPANTALHO E O PÁSSARO



não consigo dormir
talvez não vá conseguir
sinto que perdi
que vontade de me punir

esse maldito não-saber-dizer-não
que de outrem tira o chão
o chão de quem sabe voar
mas também precisa pousar

sem chão não há pouso
sinto-me uma pista de baque
sem garantia de repouso
simplesmente um achaque

simplesmente complicado
por me sentir convidado
mas já não sou mais assim, dado
não tenho seis, apenas um lado

um lado penumbra
o outro alumbra
e toda íris vislumbra
mesmo na bruma

quero ser tua metade-inteiro
afugentar outras aves que são de rapina
já não quero mais ser herdeiro
de nenhuma rotina, mas fazer minha Sina

Espantalhos são colocados em meio a hortas ou plantações com o objetivo de espantar aves. Têm, contudo, o inconveniente de perder sua eficácia, pois as aves terminam por habituarem-se com eles. Não quero mais ser espantalho, quero ser pássaro! Seu par.

sábado, 3 de março de 2012

DUCA


Só não há remédio para a criatividade linguística e ortográfica desse povo brasileiro! Boa!