segunda-feira, 28 de dezembro de 2009


Dia 16 de janeiro de 2010 a trégua vai acabar! Evento que será realizado no The Jungle Music Bar (Comendador Leão - Jaraguá) com Dubex, Vitor Pi e UNIDADE e Xique Baratinho, além de exposições dos melhores tatuadores da cidade e graffitti ao vivo! Acessem o site www.aiegua.com.br para maiores informações e cadastrem-se para sorteio de ingressos e descontos!
A TRÉGUA ACABOU!

sábado, 26 de dezembro de 2009

BOCA


Boca maldita, Boca do Inferno
Muitos ficam boquiabertos
Com bocas sujas
Que aparecem nas bocas de lixo
Nas grandes bocadas
Nas bocas de fumo
Sem caras e bocas
Na cara dura
E vociferam verdades
É boca quente!
De outro lado, bocado de gente
Sem embocadura
Não sabe tocar as trombetas da veracidade
Boca mole
Bate com a língua nos dentes
Pronuncia mentiras e calúnias calientes
Nunca perde a boquinha de uma boca livre
E se apresenta meia boca, inteiramente
Estou certo ou tenho um parafuso a menos?
Eu tenho uma chave de boca
Meus parafusos estão sempre apertados
Sem vazamento
Sempre desviando das bocas de lobo
Desviando do insidioso
Observação Raio-X
Consigo ver lobos por trás de cordeiros
Então desemboca bem longe de mim
Na boca da mentira a verdade da boca
Que espera ter seu sinal beijado

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

DICA DE LEITURA


Neste tão singelo clima de natal envolto em hipocrisia, muitas vezes ingênua (por parte de alguns vulneráveis subservientes, que nem se dão conta de sua condição), aqui vai uma dica de leitura: Compras de natal, texto da consagrada autora Cecília Meireles que versa sobre o consumismo desenfreado e sem muito significado nesta época natalina, mais ou menos na mesma linha temática do meu último texto abaixo publicado. Só não gosto do desfecho, da última frase do texto dela, mas aí são convicções religiosas da autora que não convergem com as minhas.
Isso é o de menos! O que vale é a Literatura!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!


Disponho-me mais uma vez a escrever sobre datas comercial-comemorativas (estas - natal e ano novo - são as mais comerciais de todas, quase que no mundo inteiro, diria que no ocidente inteiro). As propagandas estão espalhadas por toda parte, as lojas estão lotadas de consumidores-zumbis, prontos para comprar lembrancinhas. Fico abestalhado como as máquinas política e publicitária fazem das pessoas engrenagem para seu funcionamento.
Os povos que acompanham o calendário cristão, ano após ano, elaboram cerimônias festivas para celebrar o natal e o ano novo. O natal é a data que comemora o nascimento de Jesus Cristo, até hoje me faço uma pergunta: se Cristo nasceu em 25 de dezembro e o nosso calendário é contado a partir disso, por que o ano começa no dia 1 de janeiro? Se alguém descobrir, por favor me informe! A verdade é que o mais interessante da data não é o nascimento de ninguém, e sim a morte, a morte do peru. Todos querem filar aquela belíssima ceia posta à mesa, parentes que não se viram durante todo o ano aparecem sempre nessas datas, é impressionante! Ainda aparecem com saudações e felicitações hipócritas. Ao longo de todo o ano vão detonar sua imagem, vão esculachar sua pessoa, como um punhal pelas costas.
Assim é o réveillon também. “Feliz ano novo! Que ele seja próspero e você consiga tudo que deseja!” Abraços demagógicos, beijos falsos. Que saco! Opa, falando em saco, no saco do papai Noel já não cabem brinquedos, a molecada necessita de estudo e comida. Brincar também é importante, mas dar brinquedo nessa data como quem salva o mundo e diz que faz sua parte, é o que mais vejo. Sempre tem dessas coisas, natal solidário, caravana da esperança. O meu saco já encheu! Encheu de tanta hipocrisia! Sejamos solidários ao longo do ano, façamos qualquer dia. Afinal, uma virada de ano não traz nada de novo, a não ser mais um novo dia, que geralmente é igual aos velhos dias, se algo muda é porque você fez mudar. A contagem do ano não pode se apresentar de forma tão vaga, isso é coisa para tarólogos. Pra mim funciona a ciência, o ano é contado através de rotação e translação da Terra.
Bom, a maior parte das nossas datas comemorativas é ornamentada de simbologias religiosas, e dos segmentos humanos que emanam hipocrisia eu considero essas datas as mais carregadas nesse sentido! Por isso aprecio as festividades religiosas que são profanadas pelo povo, como carnaval e são João. A verdade é que o povo quer comemorar a vida, bebemorar também! Façamos a missa do peru, depois bebamos o sangue de Cristo, no dia primeiro de janeiro voltamos à dieta, só até o carnaval chegar é claro!

PELO SPORT TUDO!


Estava para publicar este texto desde que o campeonato brasileiro de futebol findou. Então aí vai.
Fechamos o calendário futebolístico de 2009 com uma grande polêmica, o título do Flamengo. Não a conquista do título em si, que por sinal foi merecidíssimo, um time que entra no segundo turno do campeonato em décimo quarto e termina campeão na última rodada é uma conquista mais que louvável. A polêmica se apresenta no número de títulos que o Flamengo diz já ter conquistado, seis. Flamengo hexa? Não, não! Flamengo penta. O campeonato de 2009 é a quinta conquista do clube.
Falo como torcedor do Sport Club Recife, pois o campeonato de 1987 é nosso! Havia dois módulos naquele ano sendo disputados, a regra dizia que o campeão brasileiro seria quem ganhasse o quadrangular final, um cruzamento dos campeão e vice-campeão do módulo verde (Flamengo e Internacional, respectivamente) contra os campeão e vice-campeão do módulo amarelo (Sport e Guarani, respectivamente).
O que aconteceu? Flamengo e Internacional não aceitaram fazer o cruzamento dos módulos, auto declarando-se campeão e vice do brasileiro daquele ano. Questões que envolviam patrocinadores e transmissão dos jogos fizeram com que esses clubes decretassem o fim do campeonato e se declarassem campeão e vice. Mas a CBF, órgão que regulamenta o futebol brasileiro, reconhece o título do Sport Club Recife. Quer mais? A FIFA, órgão que regulamenta o futebol mundial, reconhece o título do Sport também.


Triste, além dessas falsas declarações sobre o hexa flamenguista, foi o rebaixamento do Sport para a segunda divisão do campeonato brasileiro do ano que vem, mas tudo bem, para voltar à primeira é rapidinho. Só não abro mão do título brasileiro da primeira divisão de 1987.
Muitos devem estar se perguntando: "Mas o Vitor não é alagoano? Que canta Alagoas em suas músicas?" É, sou alagoano de nascença, mas sou pernambucano de criação. Toda minha família é de lá, nasci aqui mas logo fui levado para o território pernambucano, voltei para minha terra de nascimento já adulto. Por isso me considero um alabucano.
É... mas eu sei que faz muito mais sentido um alagoano que foi criado em Pernambuco torcer pelo Sport (desde pequenininho) do que um alagoano que nunca nem foi ao Rio de Janeiro torcer pelo Flamengo. Não que eu me preocupe com questões de fronteiras territoriais, somos Brasil, mas que faz muito mais sentido faz!

Assistam a esse videozinho postado em seguida. Pelo menos uma vez a grande mídia reconheceu o título do Sport Club Recife.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

BRASIS


O bicho
(Manuel Bandeira – 1947)

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

-------------------------------------------------------------------------------------

Debaixo da marquise, famílias inteiras, famílias partidas. Disputando entre si os restos da minha comida. Deliciosa, por sinal. Cara também. Brasil? Eu vi a Somália ali. Lembro-me de um filho do Brasil há dois mandatos vomitando promessas, uma em especial não me saciou – não estava bem temperada, aquela que pronunciava uma mentira faminta pela crença miserável: quatro anos para todas as famílias brasileiras fazerem as três básicas refeições diárias. Insulto à minha inteligência. Oito anos já se passaram desde aquele vômito infame. E ainda hoje me vejo cercado de miséria. Todo mundo sabe dela, todo mundo a vê pela janela, mas quando se vê rodeado por ela, sente a sequela na pele! Foi o que senti. Antagonismo. Paradoxo. Não foi na tela do cinema, foi debaixo do meu nariz. Brasil... Brasis... Feliz país de diversidades culturais. Infeliz país de diversidades sociais. Raspa o prato, menino! Come tudo! Não estraga a comida!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

ADMIRAÇÃO


Admiração
por quem me pôs no palco
e tomou de assalto
o meu coração.

Admiração
pelo poeta Artur Finizola,
Alagoas, Angola...
Origem: irmão.

Ao poeta, uma pílula
que não impede o desenvolvimento da irmandade fecunda!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

MADE IN NORDESTE

O dia raiou! Algumas substâncias e várias ideias na cabeça, uma câmera digital e um violão em mãos. Resultado? Assiste aí! (Eduardo Bro - violão; Vitor Pi - esse que vos fala)