terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

BALANÇA FAVORÁVEL (IMPORTANTE)

Mais uma de minhas reflexões (ou reflexos) linguísticas(os).
Estava pensando no sentido da palavra ‘importante’ ao refletir sobre algumas coisas que considero importantes. Reparei que tal palavra tem o mesmo radical da palavra ‘importar’ (trazer), e ao me deparar com essa questão - talvez etimológica, talvez coincidência, cheguei à conclusão de que o importante é o que você importa pra si, é o que você traz pra dentro de si. O que importa você importa.
Nada de inédito em se tratando do ser humano, ser egocêntrico, que mesmo ao propor uma coletividade o faz pensando em se promover, ao amar alguém o faz pelo prazer de se sentir bem, ao praticar um ato altruísta o faz pensando em ser beatificado.
Não falo aqui que o egocentrismo é um defeito e deva ser tratado como vilania e com vilipêndio. Não. O defeito e a vilania estão depositados na inversão do egocentrismo à categoria de demagogia. Isso sim merece vilipêndio: a autopromoção da futilidade, que não prova nada a si mesmo, só prova (ostenta) aos outros, à sociedade. A meu ver, egocentrismo pode funcionar como auto-estima, quando se propõe coletividade e se insere no bolo, quando se ama e se deixa ser amado, quando se pratica o altruísmo e sorri com o sorriso do outro. Aí se deposita o sentido de importação, ao se importar com o outro você se importa consigo mesmo, importando pra si a felicidade do outro e consequentemente transmitindo-a, pois o outro é você mesmo, é um espelho, e “Narciso acha feio o que não é espelho”.
Penso que se conhecer, relacionar-se consigo mesmo, respeitar a si próprio, são fatores primordiais para ser um ser equilibrado socialmente com o Eu inserido no coletivo demagógico-egocêntrico. Afinal, “eu me amo, não posso mais viver sem mim”. A balança humana favorável é o inverso da balança comercial favorável, o mais importante é importar mais do que exportar, o que se exporta e se expressa e se expõe devem ser reflexo da absorção. Isso é importante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário